ARTIGOS

Reinvente-se!

Estagnou? Sente que não tem como subir mais? Reinvente-se! Não sei se você se lembra da Rádio Relógio AM. Para quem não faz ideia do que estou falando, era uma rádio que, basicamente, transmitia... a hora! Quando eu era criança, se queríamos acertar os relógios, ligávamos o rádio, sintonizando esta Rádio. Acredite, ela foi por décadas, uma das mais interessantes rádios que o Rio já teve. Principalmente por conta de inúmeras curiosidades típicas de enciclopédias, sempre com o inesquecível bordão: “Você sabia?”. E mantinha um som constante de relógio durante a programação. Mas o que isso tem a ver com a ascensão que buscamos na nossa carreira, ou melhor ainda, na nossa vida como um todo? Bem,

Você se sente valorizado?

Você se sente valorizado? Quer descobrir como ser e ainda ter excelência na sua carreira? Quem me acompanha aqui, viu que acabei de realizar um Webinário sobre este tema. Sou muito grato, pois foi muito bom. Tanto que decidi trazer para vocês o que foi apresentado. Mas, antes de clicar para assistir ao vídeo, quero que você entenda alguns pontos: 1 – Nem sempre é possível (ou válido) disponibilizar um Webinário gravado. A proposta é a interação (ao vivo), é a oportunidade de quem me acompanha fazer perguntas totalmente voltadas à própria realidade, o que é muito bom! 2 – Essa mesma interação faz com que assistir após a realização do mesmo não seja tão interessante, por conta dos momentos em

Carreira e vida, o tempo passa!

Carreira e vida - E quando o tempo passa, mas você não encontra solução? Você já se sentiu travado diante de uma situação? Do tipo, sem saída mesmo? Isso é angustiante, sobretudo quando se trata de situações complexas, que desencadeiam decisões impactantes na sua vida. Pior ainda, é quando você ainda nem chegou no nível da decisão, pois não encontrou opções para escolher. Se sente em uma prisão, buscando a liberdade. Gosto muito de uma frase de Gerônimo Theml que diz: Quem tem uma opção apenas, se sente preso; quem tem duas opções, tem um dilema; e quem tem três, tem liberdade de escolha. E, no meio de tudo isso, ainda existe a questão do tempo. Seja porque há necessidade de uma resposta ráp

Horas em que você NÃO deve decidir

Lembra aquela vez em que você comprou algo pela empolgação e se arrependeu? E quando agiu por impulso, dizendo ou fazendo algo sem pensar direito? Da mesma forma, tem muita história triste de quem desistiu de coisas importantes em um momento em que não estava bem. Toda caminhada, que você percorre, passa por altos e baixos e todo mundo passa por um momento de desânimo durante uma caminhada. Qual estudante não se questionou durante os anos da faculdade se estava no curso certo? Mesmo alguém em um casamento perfeito lembra de momentos em que se questionou se estava com a pessoa certa. Isso é ruim? Não necessariamente! Até porque, se toda estrada fosse plana ela seria muito chata. Se você é fã

Você não é todo mundo!

Este é o quinto e último artigo da série “Aprendi com minha mãe”, uma homenagem às mães, gerando ainda mais gratidão em nossos corações. Hoje quero lembrar com você de três, das falas mais clássicas de nossas mães. Ainda pirralho, eu achei que poderia ir na festa de uma amiga da escola. Na verdade, era festa da irmã mais velha dela, portanto, a maioria dos convidados teria uma idade superior à minha. Ouvi um baita NÃO da minha mãe, que deu início a um único diálogo abordando as três falas. Cheio de esperança de mudar a opinião da minha mãe, tentei argumentar dizendo: - Mas o Rafael (meu amigo) vai! Naquele momento, dei abertura para a primeira clássica: “Eu não sou a mãe do Rafael, sou a sua

Faça com capricho

Este é o quarto artigo da série “Aprendi com minha mãe”, uma homenagem às mães, gerando ainda mais gratidão em nossos corações. Outro dia observei minha esposa chamando a atenção do nosso filho por conta da letra dele nos cadernos da escola. É como se ele fosse piorando na letra por tentar dar conta de anotar tudo ou por focar mais em entender a matéria. Enfim, aumentam os desafios e algumas tarefas vão perdendo a qualidade. Me lembrei que é algo que ela acompanha há muito tempo e tenho visto as outras mães – que mencionei no primeiro artigo – fazerem a mesma coisa, como a minha também fazia. E da mesma forma que chamam a atenção, as mães também elogiam quando mantemos o “capricho” da letra

O óbvio

Este é o terceiro artigo da série “Aprendi com minha mãe”, uma homenagem às mães, gerando ainda mais gratidão em nossos corações. Quando minha irmã era pequena, ainda aprendendo a falar, aprendeu que um cachorro é um “au au". Então, todo cachorro, independentemente do tamanho virou um au au para ela. Em um passeio a um sítio, ela viu um cavalo, apontou e disse “au au". Tudo com quatro patas passou a ser um au au; cavalo, vaca, boi, ovelha. Até que, aos poucos, minha mãe foi explicando a diferença. Claro que minha irmã não chamou uma mesa de au au, mas no geral, ela errava pelo simples fato de ainda não ser uma especialista no assunto. E, ai de mim se eu ficasse zombando dela, minha mãe me ar

Melhorar dói

Este é o segundo artigo da série “Aprendi com minha mãe”, uma homenagem às mães, gerando ainda mais gratidão em nossos corações. As crianças de hoje se machucam, fisicamente, menos que as da nossa geração. É mais fácil desenvolverem LER (lesão por esforço repetitivo) mexendo no celular, que ralarem um joelho enquanto correm. Aos treze anos eu vivia com joelhos e cotovelos ralados, me machucava caindo de árvores, correndo ou andando de bicicleta. Mas valia a pena! E quando minha mãe queria limpar o machucado, obviamente, eu não queria deixar. Porque dói limpar o machucado! Todos sabemos bem que limpar a ferida dói, mas se não limpar, a dor vai ser maior e mais longa. Ainda pequenos, aprende

Ela me ensinou a ser um líder

Acredito que gratidão nos transforma, concedendo um novo olhar para tudo ao redor e, consequentemente, uma melhora imensa em nossa qualidade de vida. Decidi escrever essa série de artigos por ocasião do dia das mães - para enxergarmos melhor quantos ensinamentos elas nos concedem; gerando mais gratidão - e por uma realidade particular minha: Perdi minha mãe quando eu tinha 15 anos, mas houve tempo suficiente para aprender muito com ela. Depois disso, Deus colocou pessoas incríveis em minha vida, que são como mães para mim. Por fim, o que mais tenho na minha família são mães, minha esposa é mãe, possui 6 irmãs, todas com filhos. Elas têm idades diferentes, filhos em quantidades e idades dife

Ame o que você faz

Não estou compartilhando pela propaganda da marca, mas pela mensagem. Quando você faz algo que ama, deve fazer até o último momento possível; Deve ser reconhecido e respeitado pelo que faz. Emocione-se! Te desejo sucesso!

Por algo maior! (dia do trabalhador - parte 2)

Você vive ou sobrevive no trabalho? (dia do trabalhador - parte 2) Começando pela pergunta da imagem acima, confira as três respostas mais comuns, que te ajudam a entender se você está vivendo ou sobrevivendo no seu trabalho. Gostou? Fez sentido para você? Então vamos espalhar o bem, compartilhe e marque alguém que vai se beneficiar com estas dicas. Te desejo sucesso!

Co+Labore! (dia do trabalhador - parte 1)

Como você vê o seu trabalho? Trabalhar é colaborar com o criador. Co+Labore. É ajudar na continuidade da criação. Gostou? Fez sentido para você? Então vamos espalhar o bem, compartilhe e marque alguém que vai se beneficiar com estas dicas. Te desejo sucesso!

A busca do seu objetivo te transforma!

© Copyright 2020  Leandro Passos | Coach - Todos os direitos reservados